PJ versus CLT. Qual sua escolha?

Cada vez mais hoje em dia, muitos profissionais estão migrando da contratação tradicional (CLT), para a nova moda do momento, a PJ. Não estou aqui para desmotivar ninguém a aceitar trabalho para nenhuma das opções, entretanto, quero ajudar você, prezado leitor, a avaliar os prós e contras. Vamos lá?

  • Prós
  1. Salário maior sem todos aqueles descontos de IR,VT, INSS, Vale Refeição/Alimentação, Plano de Saúde;
  2. Se o CNPJ que for legalizar como MEI, não haverá tributos sobre a Nota Fiscal que você gerar, e após 6 meses, você até consegue fazer Plano de Saúde PJ sem carências com valor acessível;
  3. Financiamento do Governo e desconto na compra de carros.
  • Contras
  1. Você não tem FGTS;
  2. Não tem 13º;
  3. Não tem Férias;
  4. Não tem Seguro Desemprego.

Obs. Vamos explorar um pouco a questão do Seguro Desemprego. Muitos ficam revoltados quando são desligados das empresa, e quando dão entrada no “Seguro Desespero” (risos), não recebem o salário que até então ganhavam. Isso se dá, porque o valor pago é baseado na Tabela do Seguro e que mesmo que você recebia R$10.000,00, você não receberá nem 1/3 disso do Governo, visto que a tabela funciona da maneira abaixo:

Faixas de Salário Médio

Valor da Parcela do seguro desemprego

Até R$ 1.683,74

Multiplica-se salário médio por 0.8 (80%)

De R$ 1.683,74 até R$ 2.806,53

O que exceder a R$ 1683,74 multiplicar por 0,5 (50%) e somar a R$ 1.347,00

Acima de R$ 2.806,53

O valor da parcela será de R$ 1.909,34

Sendo assim, não vá se iludir com Seguro.

Claro que muitas empresas que optaram por contratar PJ, jogam o valor nas nuvens, já englobando os benefícios que conhecemos, mas ainda assim, se for calcular na ponta do lápis, será que não é mais vantajoso?

Mais do que nunca, o Mercado está em constante mutação, e nessa luta de sobrevivência precisamos nos adaptar. Não existe estabilidade corporativa, mas sempre haverá formas de ganhar dinheiro!

Fica a dica!

1 curtida